Primeiro Panorama ao Processo de Coaching…

Primeiramente, deixa-me apresentar…

Meu nome é Amauri Sergio Marques. Aos vinte anos eu cursei letras em Votuporanga. Agradeço a duas tias minhas, Luiza Gerin e Conceição Gerin de Camargo, porque foi a primeira das duas que me deu uma primeira oportunidade de serviço e a segunda foi quem inaugurou a minha carteira de trabalho.

Depois desse período, trabalhando em família, comecei a trabalhar no Banco Bradesco, a princípio na minha cidade natal de Cardoso, depois, em São Paulo, capital. Uma jornada de dez anos.

Já, a esta oportunidade eu agradeço a minha querida mãe Maria Joana Marques que, através de um velho amigo, o senhor Felício Libânio, conseguiu-me uma vaga na agência do Bradesco de minha cidade natal.

Em São Paulo eu estudei artes cênicas por cinco anos. Depois voltei para o interior e iniciei minha formação no seminário. Tornei-me padre em junho de 2001.

No seminário cursei filosofia em Batatais e Teologia em Brodowski. Foram dez anos de formação ao todo. Ao final do período eu fiz uma pós-graduação em comunicação social em São Paulo.

Na sequência eu fiz uma especialização em filosofia clínica, já como padre e vigário paroquial da Catedral Metropolitana de Ribeirão Preto.

Não demorou muito e cursei psicologia também em Ribeirão Preto e comecei a atender no consultório os meus primeiros pacientes.

E foi atuando como psicólogo que conheci o coaching através de um colega e amigo também psicólogo, o Dr. Rodrigo Campos. Tornei-me, então, coach pelo IBC – Instituto Brasileiro de Coaching.

Então agora vamos lá!

Não sei se você reparou, mas eu comecei me apresentando! A primeira coisa que fiz foi dizer o meu nome completo. O nosso nome é muito importante para iniciar e finalizar um processo de coaching!

Estando num processo de coaching, o que vai contar é a nossa identidade, logo, o que melhor a representa é o nosso nome, o nosso nome é a nossa maior marca, a nossa identidade no mundo.

Em seguida, para começar a jornada de coaching é muito importante que o coachee, isto é, o cliente do coach, precise saber qual o seu objetivo para passar pelo processo. Precisa saber onde está e aonde quer chegar.

Ainda como parte da espinha dorsal do processo, o cliente, isto é, o coachee, dele ou dela se precisa saber se se está trabalhando ou à procura de emprego. Se estiver trabalhando será necessário identificar qual a sua profissão, sua área de atuação e seu cargo.

Na sequência precisará fazer resumidamente como eu fiz acima, ou seja, relatar a própria experiência profissional e caminhada de vida de forma bem resumida, semelhante a que fiz no início deste artigo.

Tem como perceber que eu fui falando no que eu fui me formando e me especializando ao longo do caminho? Se você quiser passar por um processo de coaching terá de fazer o mesmo. Isso é extremamente importante para se dar sequência aos primeiros passos.

Você precisará se lembrar de suas formações, os cursos que fez, quais títulos recebeu por onde passou até que chegasse no aqui e agora da vida.

Por fim, será preciso identificar qual a característica principal do processo ao qual vai se submeter e o que é muito importante: quando você estiver passando pelo seu processo é fundamental que se sinta uma criança que se lança confiantemente aos braços de seu pai, melhor amigo, instrutor de longa data etc.

Depois disso o coach prosseguirá com você pelo caminho das pedras! Te puxando quando for necessário, te empurrando quando isso for pertinente, mas com uma característica muito própria: “Sempre te fazendo perguntas!”

As respostas são suas e são elas que vão abrir o caminho para que você saia de onde está e chegue onde quer!

Gostou? Curte, comente e compartilhe com seus amigos!

Ah! E aguarde os próximos episódios!

Abraço Temage!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp