fbpx

Minha Nossa Senhora!

“Maria guardava todas estas coisas, meditando-as no coração”. (Lc 2, 19)

Campanha da Fraternidade de 2021: Em sua quinta edição ecumênica, a campanha tem como tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”. O lema da campanha é “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, e foi extraído da carta de São Paulo aos Efésios, 2:14.

O que nos diria Nossa Senhora, caso ela pudesse nos dar uma conferência sobre a Campanha da Fraternidade deste ano? Certamente muitos ficariam surpresos com as “não palavras” de Nossa Senhora, pois Maria nos é ícone de silêncio e suas palavras são todas “vontade de Deus” (palavras do Senhor).

Quando dizemos “pai, eu te amo!”, não estamos deixando de amar a nossa mãe, nem nossos irmãos e nem a todos a quem temos amor. E se dissermos “mãe, eu te amo!”, o inverso também é verdadeiro. Portanto, sobre o que não estamos falando no momento, não equivale a esquecimentos ou indiferenças, mas, sobretudo, são estratégias para amar mais.

Quando o outro, obviamente sob o ponto de vista do nosso olhar, de algum modo, apresenta alguma dificuldade de compreender o que é verdade estabelecida para nós, obviamente, um diálogo não teria condições de se efetivar, se a saudação inicial para seu início fosse, justamente, com o uso daquilo que, de alguma forma, separa as suas partes.

Não se pode começar um diálogo com o que explicitamente é divergente entre os participantes, ao contrário, um diálogo deve ser iniciado com aquilo que os une. O diálogo não é necessariamente catequese ou proselitismo, mas, unicamente, acolhimento mútuo entre as partes!

O que pertence ao outro faz parte da identidade do outro, o que me pertence faz parte da minha, o que nos pertence em comum pode ser, justamente, o que fomente o motivo e, por que não dizer, o tema do nosso diálogo.

Sob o olhar de Maria, a Mãe de Jesus, o que seria mais premente, acolher os diferentes paradigmas ou impor situações paradoxais? Creio que essa resposta seja bem fácil de se intuir, pois Maria não tem espírito divisor, mas de unidade.

Na Campanha da Fraternidade o que é mais importante, dobrar o outro ao meu olhar, ou olharmos juntos para um mesmo ideal?

Que Nossa Senhora, a mulher do silêncio e da vontade de Deus interceda por todos nós na execução do ideal da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021 e que aquilo que dela não se fora dito no “texto”, que o “contexto” seja a expressão máxima daquilo que ela representa para nós: fazer a vontade de Deus e guardar todas estas coisas, meditando-as no coração. Amém.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp